sexta-feira, 15 de maio de 2009

E agora, José?



Hoje, no auge do desepero, falei com minha mãe sobre meus problemas acadêmicos. E aconteceu a coisa mais linda que poderia acontecer. Ela simplesmente me cantou uma música no telefone. Foi a musica perfeita para o momento, tornando-o também perfeito. O impressionante é que ela tá pegando essa minha mania mesmo à distancia. Nós estamos ligadas de verdade. Hj eu realmente acredito no sentido de mãe, de mulher. Voltas ao meu problema eu pensei: a pior parte foi conseguir entrar na porra do mestrado. Depois disso, posso superar qualquer dificuldade. Eu sempre soube disso, mas precisava de alguém que me dissesse, e na minha língua. Obrigada, mãe. Só você mesmo. Te amo.


ATÉ O FIM (Engenheiros do Hawaii)

Não vim até aqui pra desistir agora
Entendo você se você quiser ir embora

Não vai ser a primeira vez

Nas últimas 24 horas

Mas eu não vim até aqui pra desistir agora
Minhas raízes estão no ar

Minha casa é qualquer lugar

Se depender de mim eu vou até o fim

Voando sem instrumentos

Ao sabor do vento

Se depender de mim eu vou até o fim

Eu não vim até aqui pra desistir agora

Entendo você se você quiser ir embora

Não vai ser a primeira vez
Nas últimas 24 horas

A ilha não se curva noite a dentro vida a fora
Toda a vida, o dia inteiro

Não seria exagero
Se depender de mim eu vou até o fim

Cada célula, todo fio de cabelo

Falando assim parece exagero

Mas se depender de mim

Eu vou até o fim